Contabilidade para arquitetos - Por que você deve considerar o serviço para o seu escritório? - Uphold
uphold_arquitetura

Contabilidade para arquitetos – Por que você deve considerar o serviço para o seu escritório?

A contabilidade para arquitetos é essencial para quem deseja sobressair no mercado, já que apenas em 2018 o número de arquitetos e urbanistas registrados passavam de 166 mil no país.

Dessa forma, ter um negócio regularizado pode te ajudar na hora de fechar contratos, bem como a se destacar da concorrência.

Muitos clientes preferem contratar serviços de pessoas jurídicas pela credibilidade que elas passam, principalmente em relação aos profissionais autônomos.

Assim, para abrir uma empresa regularizada é essencial contratar um contador ou escritório de contabilidade.

Agora, se você deseja saber as vantagens da contabilidade para arquitetos ou sobre a importância de ter um escritório regularizado, continue lendo esse artigo que a Uphold Contabilidade preparou para você.

Como a contabilidade para arquitetos pode ajudar o seu negócio?

Um escritório de arquitetura regularizado transmite mais profissionalismo, além de ter mais economia se comparado a profissionais autônomos, e acesso facilitado à linhas de crédito e empréstimos.

Dessa forma, a contabilidade para arquitetos pode te ajudar a formalizar o seu negócio, ou seja, abrir uma empresa seguindo todas as exigências da legislação brasileira.

Além disso, ela é muito importante para ajudar a organizar a vida financeira da empresa. Afinal, ela será responsável por:

  • Gerenciar as despesas, custos, receitas e lucratividade;
  • Cumprir as obrigações legais;
  • Gerenciar a folha de pagamento;
  • Fazer os balanços mensais e anuais;;
  • Emitir notas fiscais;
  • Auxiliar no planejamento e investimentos;
  • Entre outros.

Assim, um escritório que é amparado por serviços de contabilidade tem mais chances de se manter no mercado. 

Uma vez que ela é essencial para a tomada de decisões e para a saúde financeira da empresa.

Por que a contabilidade para arquitetos pode ser tão importante com o passar do tempo?

Com o passar dos anos, a contabilidade para arquitetos pode representar não só economia, mas também profissionalismo. 

Muitos clientes preferem contratar empresas que emitem nota fiscal, do que pessoas físicas. 

Portanto, você precisa ser formalizado para assumir projetos de grandes empreendimentos ou de órgãos públicos.

Além disso, o arquiteto tem seu próprio escritório, regularizado e cumprindo a legislação. 

Através da implantação de um serviço contábil, é possível economizar bem mais do que um profissional autônomo, já que o último precisa pagar até 20% de INSS e até 28% de Imposto de Renda.

Assim, a contabilidade para arquitetos é essencial para os profissionais que querem crescer e se destacar no mercado a longo prazo.

Arquiteto autônomo ou Empresa de arquitetura? – Entenda as principais diferenças

O arquiteto pode prestar seus serviços sem necessariamente abrir uma empresa. 

No entanto, negócios formalizados possuem muito mais vantagens do que profissionais autônomos, principalmente no que diz respeito a pagamento de impostos.

Impostos

Em muitos casos, um profissional autônomo recolhe muito mais impostos do que uma pessoa jurídica. 

No caso do arquiteto, ele pode pagar até 20% de INSS e até 27,50% de Imposto de Renda.

Já a contabilidade para arquitetos pode te ajudar a pagar 6% de impostos sobre o faturamento bruto mensal da empresa. 

Isso porque ele vai analisar qual o regime tributário se encaixa melhor em seu negócio.

O contador vai levar em consideração o porte e a estrutura da empresa para definir a melhor forma de tributação, se é Lucro Presumido, Lucro Real ou Simples Nacional.

Contabilidade para arquitetos – Credibilidade

Ter um CNPJ transmite profissionalismo. Portanto, muitas empresas não fecham negócios com profissionais que não são formalizados.

Além disso, pessoas físicas não emitem nota fiscal. E isso pode prejudicar na hora de receber pagamentos.

Acesso facilitado à linhas de crédito

Os bancos liberam linhas de crédito maiores a pessoas jurídicas, inclusive com taxas mais baixas.

Desse modo, fica muito mais fácil adquirir um empréstimo para expandir o negócio quando se tem uma empresa. 

Oferecer várias formas de pagamentos 

Uma empresa de arquitetura consegue oferecer diversas formas de pagamentos aos seus clientes do que um arquiteto autônomo. 

Afinal, os bancos possuem diversos serviços voltados para empreendimentos.

A abertura de empresa para arquitetos

Agora que você já sabe que é mais vantajoso ter um escritório de arquitetura do que trabalhar como autônomo, veja o que é necessário para abrir sua empresa.

1. Se registrar no Conselho da profissão

O primeiro passo para abrir uma empresa de arquitetura é se registrar no Conselho de Arquitetura e Urbanismo do seu estado. 

A entidade orienta e fiscaliza o exercício da profissão. Assim, todos os profissionais e as empresas que desejam atuar no mercado precisam ter o registro.

2. Contabilidade para arquitetos – Planejamento

Ainda que você já atue profissionalmente, é muito importante fazer um planejamento de sua empresa de arquitetura.

Por isso tire um tempo para pensar nos pontos abaixo:

  • Nome da empresa;
  • No tipo de atividade exercida: desenho técnico, reforma de casas e apartamentos, serviços de arquitetura e paisagística;
  • Público alvo;
  • Investimentos necessários;
  • Entre outros.

Um Plano de negócios pode te ajudar a traçar os caminhos de sua empresa, identificando as oportunidades e ameaças do mercado.

3. Enquadramento

A partir do planejamento, será possível definir com mais clareza o enquadramento da empresa, ou seja, o seu porte referente ao total faturado.

Essa classificação visa facilitar a coleta de tributos e a fiscalização dos órgãos públicos. Por isso, conheça abaixo os tipos de enquadramento que um arquiteto pode estar.

  • Microempresa (ME) – Faturamento anual de até R$ 360 mil
  • Empresa de Pequeno Porte (EPP) – Faturamento anual acima de R$ 360 mil, porém com um limite de R$ 4,8 milhões.
  • Médio porte: Faturamento acima de R$3,6 milhões e teto de R$6 milhões, ou de R$6 milhões e teto de R$20 milhões.
  • Grande porte: Faturamento acima de R$20 milhões com limite de R$50 milhões, ou faturamento superior à R$50 milhões (sem teto).

Se você ainda tem dúvidas de como atuar como pequeno empreendedor, também pode conferir neste artigo da Uphold como começar a se organizar na pejotização.

4. Estrutura jurídica

Em relação ao formato jurídico, ou seja, a base de regras e formas de atuação de uma empresa, o escritório de arquitetura pode ser EI, EIRELI e UNIPESSOAL, LTDA.

Ainda que sua empresa fature até R$60 mil ao ano, você não pode ser Microempreendedor Individual (MEI). 

De acordo com o Portal do Empreendedor, profissões regulamentadas não podem se enquadrar nesse formato jurídico.

Empresário

Esse tipo de empresa é indicada para quem não tem sócios. A vantagem dessa estrutura, é que o investimento inicial é de apenas R$1(um) real.

No entanto, o  patrimônio particular do empresário se confunde com o patrimônio da empresa.

EIRELI

A Empresa Individual de Responsabilidade Limitada também é formada apenas pelo empreendedor. Contudo, os patrimônios jurídicos e pessoais são separados.

Apesar disso, o empreendedor precisa ter um capital de pelo menos 100 vezes o valor do salário mínimo para abrir uma EIRELI.

LTDA e UNIPESSOAL

As empresas de sociedade limitada são um união composta por dois ou mais sócios.

5. Regime de tributação

Por fim, é necessário escolher o regime de tributação de sua empresa de arquitetura, ou seja, o sistema de cobranças de impostos.

  • Lucro Real – os tributos são calculados em cima do valor do lucro líquido de um negócio.
  • Lucro Presumido – a base de cálculo é feita em cima de uma presunção do lucro, que varia de acordo com o tipo de atividade exercida pela empresa.
  • Simples Nacional – esse regime contempla micro e pequenas empresas com receita bruta anual de até R$ 4,8 milhões. Ele permite o recolhimento de vários tributos em uma única guia e sua alíquota varia de acordo com o faturamento.

Quando vale a pena contratar uma contabilidade para arquitetos? 

Vale a pena contratar uma contabilidade para arquitetos se você estiver pensando em abrir uma empresa ou seja já atua como profissional autônomo.

A contabilidade é essencial para regularizar o seu negócio da maneira correta e fazer com que ele gaste menos com impostos.

Ainda assim, ela ajuda a organizar todos os processos financeiros da empresa, facilitando também sua expansão e reconhecimento no mercado.

Agora que você já sabe da importância de ser amparado por um escritório de contabilidade, entre em contato com a Uphold Contabilidade. 

Quer saber como fazer isso de maneira simples e estratégica? Nós podemos te ajudar na abertura da sua empresa!

Ultimas Postagens