Contratação de funcionários para a corretora de seguros!
krakenimages-376KN_ISplE-unsplash (2)

Contratação de funcionários para a corretora de seguros: por onde começar?

O assunto da contratação de funcionários para a corretora de seguros costuma sempre levantar muitas dúvidas entre os empreendedores. Afinal, é natural que a corretora de seguros comece com apenas um funcionário, geralmente, o dono do negócio.


No entanto, o objetivo de qualquer empresa é crescer e, com o crescimento das demandas, cresce a quantidade de trabalho, até que chega a um ponto que uma pessoa só já não é mais o suficiente.


Muitas vezes, o empresário quer manter pela maior extensão de tempo possível todas as funções nas suas mãos. No entanto, ao invés de ajudar a empresa, como ele deve acreditar, isso pode atravancar seu crescimento.


Por isso, é importante reconhecer a hora de acrescentar uma pessoa de confiança ao time para que seja possível delegar tarefas.


A equipe da Uphold Contabilidade preparou esse conteúdo para tirar todas as suas dúvidas sobre a contratação de novos colaboradores para a corretora de seguros. Siga a leitura!

Como saber se eu preciso trabalhar na contratação de funcionários para corretora de seguros?


Existem sinais muito claros de que a corretora de seguros precisa de mais pessoas em sua equipe de trabalho.


O problema é que esses sinais são muitas vezes negligenciados pela dificuldade em confiar em colaboradores e delegar tarefas.


Mas se o objetivo do empreendedor é que sua corretora cresça de maneira estável e constante, será necessário estar atento aos sinais de sobrecarga e ter a coragem e iniciativa de escolher as pessoas certas para resolver esse problema.


Quais são esses sinais tão visíveis de que a contratação de funcionários para a corretora de seguros é uma necessidade urgente?


Queda de produtividade


Quando a equipe da corretora de seguros está sobrecarregada, com acúmulo de funções e listas de tarefas gigantescas, o momento em que esse sistema vai falhar é iminente.


Isso porque é humanamente impossível dar conta de tarefas diárias que precisariam ser de duas ou mais pessoas, sendo uma pessoa só.


É como querer estar em dois lugares ao mesmo tempo, ou seja, impossível.


Por isso, as tarefas que estavam agendadas para um dia vão começar a ficar atrasadas e a cada dia que isso acontecer, elas vão se acumular, virando uma bola de neve.


Além da questão de tarefas atrasadas acumuladas, a sobrecarga causa impactos na saúde física e mental das pessoas.


O resultado será funcionários (ou o próprio empresário) cansados, irritados, com baixa capacidade de concentração e talvez até fisicamente doentes, graças a uma queda de imunidade.


Essa conjunção de fatores leva, é claro, a uma queda significativa na produtividade do negócio.


Baixa qualidade de atendimento


Voltando ao assunto da sobrecarga, já nos lembramos de que ninguém consegue estar em mais de um lugar ao mesmo tempo.


Além disso, são raras as pessoas que conseguem fazer duas coisas ao mesmo tempo. Mais raras ainda são aquelas que conseguem fazer as duas coisas bem.


Quem acha que é capaz de realizar isso, normalmente não é e alguma tarefa vai ser sempre sofrer com a falta de eficiência.


Com tantas tarefas de gestão que são necessárias para se tocar um negócio, uma das primeiras áreas afetadas pelo acúmulo de funções é uma das mais importantes: o atendimento.


Se o empresário está ocupado resolvendo questões administrativas e financeiras da corretora, é bem provável que se torne difícil de falar com ele e, quando o cliente conseguir o contato, possivelmente não receberá toda a atenção que deveria.


O resultado disso é o cliente se sentir dispensável, sem importância para a corretora e a consequência é a perda dele para um competidor mais atencioso.


Agora, se os clientes são quem faz o seu negócio andar, ninguém deseja que eles saiam pela porta e não voltem mais.


Por isso, se o atendimento for afetado porque o responsável por ele não tem tempo para se dedicar de maneira eficiente, esse pode ser um bom sinal de que é necessária a contratação de funcionários para a corretora de seguros a fim de dividir melhor as tarefas.


Precisar recusar trabalhos


Outra drástica consequência do acúmulo de funções que, como mostramos, leva à perda de tempo hábil para realizar tarefas de maneira eficiente, é não dar conta de pegar mais trabalhos.


Independente do tamanho que a corretora de seguros tem, recusar trabalhos e clientes é sempre uma séria mancha em sua reputação.


As notícias correm e, como dizem os antigos, as que são ruins galopam. Por isso, a recusa de trabalhos tende a causar um efeito cascata.


Ou seja, um cliente recusado conhece outro e eles conhecem alguém que vai procurar o serviço da corretora mas é aconselhado a não ir, porque é um local que não atende às suas demandas.


Por mais que se diga que não há publicidade ruim, esse com certeza é um exemplo de que na verdade existe sim.


Se a corretora chegar ao nível de precisar recusar clientela, o preço do resgate da reputação pode custar muito mais caro do que aumentar o time de colaboradores.


Ter o desejo de escalar o negócio de forma mais rápida


Se o empresário deseja impulsionar o crescimento de sua corretora de seguros, não pode fazer isso sem primeiro montar uma estrutura.


Caso contrário, o crescimento será insustentável, será um verdadeiro “tiro no pé” e pode se tornar causa de prejuízos.


Para essa estrutura, uma parte que deve ser observada é se a corretora possui um time com disponibilidade suficiente para abarcar as novas demandas que surgirão.


Um time de colaboradores que já esteja sobrecarregado ou no seu limite com o trabalho existente não conseguirá dar conta de novas responsabilidades.


Por isso, se a hora chegou de o plano de crescimento da corretora de seguros ser implementado, também é chegado o momento de contratar novos funcionários.

O que levar em consideração no momento da contratação de funcionários para corretora de seguros?


Tomar qualquer decisão de maneira impensada quase sempre traz consequências indesejadas e às vezes desastrosas.
Isso também se aplica à decisão de contratar mais pessoas para trabalhar em uma empresa.


Muitas vezes, o empresário está tão sobrecarregado de responsabilidades, que o estresse faz com que ele negligencie uma análise racional de suas necessidades e possibilidades no momento.


Por isso, antes de decidir assumir o compromisso que é a aquisição de um novo colaborador, é preciso respirar fundo e levar alguns pontos em consideração.


Entenda sua necessidade atual


Antes de fazer a contratação de funcionários para a corretora de seguros, é preciso compreender quais são as necessidades da empresa no momento.


Isso porque não levar isso em consideração pode ocasionar a admissão de uma pessoa que não atenda às necessidades que a corretora possui.


Por exemplo, se o maior gargalo está no atendimento da empresa, é preciso buscar uma pessoa que desempenhe bem as funções que esse setor exige.


Se a escolha de uma pessoa desconsiderar isso, pode ser que a contratação tenha que ser desfeita, levando ao desperdício de tempo e dinheiro.


Defina o perfil do candidato para a vaga


Associado ao que acabamos de dizer, para evitar gastos e inconveniências, é preciso buscar a contratação da pessoa certa para o lugar certo.


Uma vez que se tenha mapeado as necessidades da corretora no momento e seja possível então saber que tarefas precisam ser desempenhadas naquela função, já é possível traçar um perfil do candidato apto para a vaga.


Traçar um perfil bem definido de habilidades e competências necessárias para atender às demandas na vaga é essencial para saber o que se está procurando.


Sem esse perfil, o processo seletivo será feito “no escuro”, sem parâmetros para selecionar candidatos aptos para serem colaboradores da empresa.


Além das habilidades e competências específicas para a vaga ofertada, é importante também incluir nos requisitos comportamentos que estejam alinhados com a cultura da corretora de seguros.


Tomar esses cuidados durante a contratação de funcionários para a corretora de seguros irá tornar mais difícil a ocorrência de erros custosos para o negócio.


Saiba como está o financeiro da empresa


Há de se lembrar a todo o momento que qualquer aquisição para a empresa é um novo custo financeiro e a contratação de funcionários para a empresa de seguro é uma obrigação financeira constante, mensal.


Por isso, antes de buscar por novos colaboradores é importante estar a par da real situação financeira da empresa.


Não basta precisar de um novo funcionário na corretora, é preciso saber se o orçamento da empresa sustenta os gastos necessários para manter a aquisição.


Ter um fluxo de caixa positivo é essencial para o crescimento e continuação da corretora de seguros e de qualquer negócio.


Dessa forma, é muito importante não trocar os pés pelas mãos e assumir um compromisso que financeiramente não se pode arcar.


Caso isso aconteça, o que era para ser um benefício pode rapidamente se tornar um grande problema.


Quanto custa contratar um funcionário?


Funcionários custam caro e jamais será possível convencer um empreendedor do contrário.


Uma das questões que mais contribuem para o tamanho dessa despesa não é nem o salário oferecido pela vaga, mas todos os tributos e encargos que precisam ser pagos em cima desse valor.


O Brasil é um dos países com a maior carga tributária do mundo e somado a isso possui uma das legislações trabalhistas mais complexas.


Segundo o Dr. Pablo Mourente em um artigo escrito para o portal Jota no ano de 2018, um funcionário contratado por regime CLT (carteira assinada) custa cerca de 73,33% a mais do que o salário bruto pago pela empresa.


Para funcionários contratados por regime CLT os tributos sobre o salário incluem:

  • 8% de FGTS mensal + 8% do valor anual;
  • Férias + adicional sobre férias (⅓ do salário deve ser pago nas férias do colaborador);
  • 13º salário;
  • Exceto para os que trabalham pelo Simples Nacional, a contribuição para o INSS pela parte do patrão pode chegar a 28,5%;
  • Vale transporte (a empresa pode descontar até 6% do salário do colaborador para cobrir esse custo;
  • Benefícios (vale-alimentação, vale-refeição, ajuda de custo, serviços de assinatura, etc.) com margem de R$600,00;


Com todos esses encargos, se o salário ofertado para a vaga é de R$2.000,00, o que o empregador irá pagar será algo em torno de R$3.509,99.


Ainda é preciso colocar na ponta do lápis os custos de seleção e treinamento e em caso de demissão, os custos rescisórios que são:

  • Férias vencidas + proporcionais;
  • 13º salário proporcional;
  • Multa de 40% do FGTS (isenção no caso de o colaborador ter pedido demissão);


Aviso prévio indenizado.


Existem formas mais em conta, dependendo da necessidade, de contratar um colaborador, mas se ele é necessário todos os dias em regime normal de trabalho, a contratação precisa ser CLT.


No entanto, se a contratação do funcionário é para um projeto pontual ou um período, existem a contratação de pessoas jurídicas, como freelancers por exemplo, ou contratos temporários de trabalho.


Mesmo que pareça absurdo o custo da contratação de funcionários para a corretora de seguros, uma coisa é certa: o custo de tentar crescer sozinho é muito maior.


Como já mostramos, a empresa perde em várias frentes quando não há pessoas o suficiente para delegar funções e dividir tarefas.


Perdem-se contratos e clientes por falta de acompanhamento e falta de tempo, a reputação da empresa começa a ficar manchada, o(s) funcionário(s) com sobrecarga adoece(m).


O resultado de tudo isso, só pode ser, no melhor dos casos estagnação e no pior o fechamento do negócio.
Por isso, é verdade quando se diz que para fazer dinheiro é preciso gastar dinheiro.


Contudo, no caso da contratação de um bom colaborador, com o perfil certo e as habilidades e competências necessárias, isso nunca será um gasto, mas um investimento para o crescimento da empresa.


Principais erros de contratação de funcionários para corretora de seguros


Por mais essencial que seja a contratação de funcionários para a corretora de seguros, isso não pode ser feito de qualquer maneira.


Como tudo dentro da empresa, é preciso ter um planejamento para obter aquilo que é realmente necessário para o negócio.


Muitos erros passam despercebidos às empresas no momento de contratar um colaborador e para que isso não aconteça, reunimos alguns exemplos.


Não entender o perfil do candidato


Sem compreender o perfil que o candidato precisa ter para ocupar uma determinada vaga, as chances de cometer um erro na contratação são grandes.


Em um processo de seleção, muitas candidaturas são recebidas e, por isso, é preciso filtrar os currículos até se chegar aos candidatos ideais.


No entanto, é preciso ter parâmetros bem estabelecidos para fazer esse filtro e eles são definidos de acordo com a vaga.


Por isso, ao pensar em fazer uma contratação, é preciso analisar a vaga oferecida e se perguntar:

  • Qual o nível e o tipo de experiência são importantes para exercer bem as funções dessa vaga?
  • Que tipo de formação pode ajudar a cumprir os requisitos da vaga?
  • Que habilidades específicas são necessárias?
  • Que competências técnicas são necessárias?
  • Que competências comportamentais estão de acordo não só com a vaga, mas com a cultura da empresa?


Ao fazer e responder esses questionamentos, será mais fácil acertar na contratação do colaborador ideal para a corretora de seguros.


Fazer a divulgação da vaga com a nomenclatura errada


A nomenclatura da vaga é parte essencial do processo de seleção e recrutamento.


Quando lemos o título de um texto já inferimos muito sobre o seu conteúdo e com a nomenclatura da vaga acontece o mesmo.


Por isso, uma nomenclatura errada causará ideias erradas nas pessoas que visualizarem a vaga e isso irá atrair perfis que não condizem com o que a empresa necessita no momento.


Não exigir exames específicos para a vaga


Exames específicos, tarefas ecológicas para avaliar as competências do candidato no contexto da própria vaga são muito importantes, mas frequentemente deixados de lado.


Avaliar uma pessoa em um ambiente com tarefas genéricas permite extrair muito pouca informação sobre o que o candidato pode oferecer para a vaga.


A melhor maneira de prever com maior possibilidade de acerto como a pessoa agiria na vaga é construir tarefas de seleção que simulem as funções que serão desempenhadas.


Isso pode parecer trabalhoso, mas evita custos de tempo e dinheiro que ocorrem quando se faz a contratação da pessoa errada.


Deixar o teste de habilidades de lado


Toda vaga de emprego demanda do colaborador um conjunto de habilidades específicas que não podem ser ignoradas.


Para ter certeza que o candidato as possui, é preciso aplicar testes que ponham a prova essas habilidades e demonstrem o nível delas.


Por exemplo, se uma vaga demanda mandar e-mails, navegar na internet, fazer uso de softwares, a pessoa precisa ter boas noções de informática.


A melhor forma de garantir que esses requisitos sejam atendidos é com o teste de habilidades.


Escolher o colaborador “mais barato”


Escolher contratar o colaborador mais barato não significa que essa é a melhor escolha para a empresa.


É claro que a faixa salarial desejada pelo funcionário precisa estar de acordo com o orçamento da corretora de seguros.


No entanto, é preciso escolher não o candidato mais barato e sim o melhor candidato possível dentro do preço que a corretora pode pagar.


Como acertar na contratação do colaborador para a corretora?


Diante de tudo que discutimos até aqui, existem passos simples que irão otimizar o processo de contratação de funcionários para a corretora de seguros.


Mapeie os candidatos


Como dissemos, ao buscar por novos colaboradores é preciso traçar o perfil do candidato que atende às exigências da vaga.


Isso irá permitir que os currículos possam ser analisados e seja feito o mapeamento somente daqueles que apresentam um perfil condizente para a próxima etapa do recrutamento.


Seja sincero em relação à vaga


Quanto mais direto o recrutador for em relação à vaga com o candidato, menos problemas serão gerados.


É essencial que antes da contratação seja explicado no que realmente consiste a vaga, quais as tarefas diárias devem ser realizadas, horários, benefícios e absolutamente tudo que for relevante sobre a posição.


Isso vai impedir que mal entendidos aconteçam e manchem a imagem da corretora de seguros.


Utilize a tecnologia


A tecnologia vem avançando em várias áreas para facilitar nossas vidas e no mundo dos negócios isso não é diferente.


Existem vários softwares de gestão que podem ajudar no processo de recrutamento e seleção.


Esses programas são especializados para tal processo e ajudam, por exemplo, a selecionar currículos para a próxima etapa de seleção.


Peça referências


Hoje existem muitas maneiras além dos currículos para checar as referências dos candidatos.


A melhor maneira de se certificar da experiência de uma pessoa é não confiar somente no papel.


A corretora deve buscar contato com pelo menos uma das referências disponibilizadas pelo candidato e pedir informações objetivas, como sobre o desempenho em tarefas similares às que a vaga pede.


Desenvolva comunicação clara e objetiva


Erros de comunicação podem ser muito custosos e, por isso, é preciso que o colaborador tenha boas habilidades de comunicação.


Isso não se aplica apenas em relação à comunicação com clientes, mas também com as pessoas da equipe.


Quanto mais clareza e objetividade na comunicação e relacionamentos, mais eficiente será o trabalho de toda equipe.


A contratação de funcionários na corretora de seguros pode ser individual?


A contratação de funcionários para a corretora de seguros pode ser realizada de diversas formas.


Essa escolha vai depender, por exemplo, do tamanho e das necessidades atuais da empresa.


Se a empresa estiver começando a crescer, a contratação de novos colaboradores pode seguir o mesmo ritmo e acontecer de maneira gradual.


Não é necessário fazer contratações em massa, tentando prever as necessidades futuras da corretora.


Como dissemos, estabelecer as necessidades do negócio, saber sua situação financeira e estabelecer o perfil desejado são passos que ajudarão a resolver o problema de falta de colaboradores com a pessoa ideal.


Isso possibilitará que as contratações sejam feitas não por precaução, mas de acordo com a necessidade.


Seguindo todas as dicas reunidas aqui, a composição da equipe da corretora de seguros será um combustível para seu crescimento.


E em todo momento da sua empresa, seja ela grande ou pequena, pode contar com o time da Uphold para te acompanhar!

Ultimas Postagens