Intermediação de negócios: Entenda o que é
homens-apertando-a-mao-e-fechando-negocios-

Intermediação de negócios: Entenda como um corretor se enquadra nessa categoria

A intermediação de negócios vem se tornando uma prática cada vez mais requisitada pelas pessoas que possuem algum tipo de bem para comercializar.

Isso porque, com mais experiência, o intermediador poderá encontrar oportunidades mais interessantes e fechar negócios que deem um retorno positivo.

Nesse sentido, o corretor se torna uma peça chave nessa ação, sendo o apoio que os interessados em bens e serviços precisam para realizar as compras e vendas de modo mais assertivo.

Dessa forma, vale a pena conhecer mais sobre a intermediação de negócios, o que faz esse profissional e quais as suas funções

O que é uma intermediação de negócios?

A intermediação de negócios é a prática de colocar em contato dois ou mais indivíduos que desejam realizar um negócio vantajoso para ambos.

O agente que promove esse encontro é chamado de intermediador ou broker. É essencial que o intermediador seja imparcial nessa transação, de modo a atuar de maneira mais credibilizada.

Em um primeiro momento, a intermediação pode ser realizada para incentivar negócios de diversos segmentos.

As empresas contam com o apoio do corretor, devido ao seu amplo conhecimento sobre técnicas de fechamento de vendas e, também, porque, na grande maioria das vezes, ele possui contatos estratégicos.

Inclusive, o portal G1 destaca que o relacionamento é um dos pontos fortes e, ao mesmo tempo, o desafio da profissão do corretor.

Além disso, a atuação do intermediador pode minimizar riscos para os empresários. Afinal, ele fará uma sondagem sobre os interessados na aquisição e levará a oportunidade adiante com uma certa afirmação sobre o sucesso da negociação.

Quem pode atuar na categoria de intermediação de negócios?

O corretor é um profissional ideal para assumir a função de intermediador no fechamento de negócios.

Nesse caso, estamos falando sobre diferentes tipos de corretores, que podem ser de:

  • Imóveis;
  • Financeiros;
  • Seguros;
  • Representantes comerciais;
  • Vendedores de softwares digitais.

Seja como for, esse profissional possui conhecimentos sobre técnicas de negociação, vendas e um forte apelo comercial, sabendo encontrar as melhores oportunidades para os dois lados da ação.

Qual a diferença entre corretagem e intermediação de negócios?

A principal diferença entre corretagem e intermediação de negócios está na parcialidade do corretor que atuará como intermediador.

A partir do momento em que ele opera com interesse maior em favorecer uma das partes relacionadas ao processo, passa a assumir uma corretagem, e deixará de ser um intermediador.

Vale reforçar que o corretor pode assumir o papel principal na intermediação de negócios, podendo atuar de forma autônoma ou representando a empresa à qual está associado.

Nesse âmbito, a sua função é unicamente a de aproximar dois ou mais interessados no exercício de compra e venda.

Portanto, para que se configure uma ação de intermediação, é fundamental que ele se mantenha neutro na relação de contato.

Caso contrário, estará realizando uma corretagem e, com isso, se torna responsável por toda a negociação de compra e venda.

Principais dúvidas sobre uma intermediação de negócios

A diferença entre intermediação de negócios e corretagem é a dúvida mais frequente sobre essa ação comercial. No entanto, pode não ser a única entre interessados.

É comum ter questionamentos sobre a prática da intermediação e sobre a atuação do corretor, indo desde as taxas de comissionamento, até os principais pontos de exceção que devem ser considerados.

Então, é importante explicar essas questões, para que não exista nenhuma ação que vá contra os princípios que regem uma ou outra modalidade de negócios:

Quais os valores de corretagem na intermediação de negócios?

Não existe nenhuma especificação de valor imposto para a prática de intermediação de negócios, indo do interesse de cada um definir essa quantia.

Quando isso não é proposto, costuma-se aplicar a tabela do CRECI, que prevê um pagamento de 6% sobre o valor do negócio.

Nesse caso, firmar um valor a ser pago em comissão é uma prática comum quando há a intermediação de negócios. Inclusive, isso é algo que deve estar descrito em contrato.

Essa comissão deverá ser encaminhada ao intermediador, independentemente se o negócio se validar entre as partes. Afinal, ele cumpriu o seu papel principal no ato, que é o de aproximação entre as partes.

Todo vendedor está integrado como um intermediador de negócios?

Caso o vendedor considere a característica essencial de uma intermediação de negócios, que é se manter imparcial para as duas partes envolvidas, ele pode atuar como um broker.

Mesmo que não esteja associado a uma empresa, é possível realizar essa ação de forma autônoma.

Existe exceção para a intermediação de negócios?

Efetivamente, a intermediação de negócios acontece quando uma das partes solicita o apoio de um profissional para realizar a aproximação entre os interessados.

Logo, é sua responsabilidade arcar com os custos desse intermediador, a não ser que as duas partes concordem em dividir o pagamento da atuação do corretor.

Nesse caso, é aberta uma exceção em relação à regra contratual, devendo estar estabelecida em contrato para garantir a segurança de todos os envolvidos na transação.

Qual a importância de entender sobre uma intermediação de negócios?

A intermediação de negócios é uma alternativa bastante interessante para otimizar o processo de compra e venda de vários tipos de bens e serviços.

Além de facilitar a liquidez desses itens, ela promove benefícios relacionados à segurança das partes, já que existe uma sondagem prévia que determina a real possibilidade de ser efetuado o pagamento e a transferência do bem.

O intermediador também oferece mais dinamismo à relação de compra e venda, favorecendo para que a ação termine de maneira mais rápida e livre de tantas burocracias.

Mas reconhecer a importância dessa ação também colabora para a credibilidade da ação. Afinal, são pequenos os detalhes que diferenciam a intermediação do processo de corretagem.

Por isso, se o seu interesse é em contratar um profissional imparcial para intermediar a compra ou a venda de um bem, vale a pena entender melhor como funciona esse conceito.

Afinal, vale a pena trabalhar com a intermediação de negócios?

Certamente, a intermediação de negócios é uma atividade bastante interessante.

Isso porque é relativamente rápida, considerando a expertise e os contatos prévios do corretos, e, também, consideravelmente rentável, podendo oferecer até 6% do valor do contrato fechado.

Além disso, também permite ao profissional trabalhar com um nicho que já é de seu conhecimento, ampliando sua atuação com mais segurança.

Portanto, se você faz parte do segmento de vendas, finanças, imóveis e seguros, considere a possibilidade de atuar como um intermediador.

Ultimas Postagens