Quanto ganha um corretor de seguros? Veja a renda dessa profissão
Quanto ganha um corretor de seguros

Quanto ganha um corretor de seguros? Conheça os lucros e despesas dessa profissão

Saber quanto ganha um corretor de seguros pode trazer dúvidas, principalmente para aqueles que estão iniciando em um novo empreendimento.

A remuneração do profissional da área sofre influências de vários fatores. Por isso, o cálculo do valor a ser recebido no final do mês passa por variações, e pode não ser tão simples quanto em outras áreas.

Os contratos, normalmente, são negociados diretamente com os corretores. Por isso, é possível acompanhar o valor das comissões, e ter um controle sobre o valor a receber no final do mês.

No entanto, para realizar essa administração de recursos de maneira adequada antes de começar a trabalhar, é importante saber mais sobre quanto ganha um corretor de seguros. Confira a seguir e tire as suas dúvidas.

Quanto ganha um corretor de seguros atualmente?

De acordo com dados divulgados pelo portal de empregos Catho, a média salarial dos corretores no Brasil é de R$2.227. Contudo, é possível encontrar variações entre R$1.400 a R$3.600, sem considerar as comissões.

No entanto, entender quanto ganha um corretor de seguros depende de diversos fatores, como:

  • Ramo de seguro que está sendo trabalhado;
  • Seguradora;
  • Natureza da empresa (pessoa física ou jurídica);
  • Margem de lucro do seguro.

Por meio desse conjunto, de fatores é possível estabelecer uma média de valores recebidos mensalmente.
Por exemplo, os seguros que contam com premiações menores e mais esforço para vendê-los, tem um percentual de comissionamento de 25% a 30%.

Além disso, o corretor de seguros também pode receber uma remuneração variável, que pode considerar:

  • Vendas no mês;
  • Bonificação por desempenho;
  • Metas alcançadas.

Ainda, a bonificação pode não ser paga em valores, mas em prêmios, como:

  • Viagem;
  • Passeios;
  • Almoço;
  • Eletrodomésticos ou eletrônicos.

Enquanto isso, podem ter metas compartilhadas com toda a equipe, para que exista um esforço maior para colaboração em grupo, permitindo que todos alcancem suas metas individuais e em conjunto com a equipe, aumentando o valor da bonificação.

Como funciona a comissão dos corretores de seguros?

Existem seguros que possuem uma margem de lucros maior do que outros, e isso aumenta os ganhos do corretor no final do mês.

No entanto, essa bonificação deve estar prevista em contrato, e o pagamento deve ser realizado conforme acordado.

Esse acordo pode contemplar várias formas para que o valor seja creditado em conta, como:

  • No momento da concretização da venda;
  • Ao receber o prêmio;
  • Em outro momento, de acordo com o contrato.

Além disso, existem áreas que possuem condições mais favoráveis em relação aos percentuais para a corretagem, que pode acontecer devido aos requisitos para o exercício da profissão ou por características particulares do acordo.

No entanto, como uma grande parcela de corretores fazem as negociações diretamente, eles precisam conhecer os detalhes sobre como será sua remuneração, de forma que seja possível assegurar seus lucros.

Assim, uma das principais questões quando se fala em quanto ganha um corretor de seguros, principalmente quando PJ é citado, é sobre o controle dos ganhos, já que seu salário é constituído, principalmente, das comissões das suas vendas.

O comissionamento é uma prática normal nas corretoras, e, normalmente, são complementares ao salário em carteira ou contrato.

Mas, em alguns formatos, a comissão é a remuneração principal, onde os ganhos acontecem em função do volume de vendas. Dessa forma, temos dois formatos de comissão:

Comissionamento puro

No comissionamento puro, o corretor de seguros recebe o salário mínimo ou o piso da categoria, e ganha a comissão por cada venda realizada.

O valor do comissionamento é descrito em contrato, de acordo com a categoria de seguros que está sendo trabalhada.

Comissionamento misto

Já no comissionamento misto, além de receber o salário fixo mensal acordado em contrato ou carteira, que normalmente é acima do salário mínimo.

O corretor ganha a comissão por todas as vendas realizadas dentro do mês.

Quais os principais gastos do corretor de seguros iniciante?

Depois de entender melhor sobre comissionamento, é possível seguir para outras análises de quanto ganha um corretor de seguros.

Para iniciar essa carreira, alguns investimentos são necessários, para que seja possível exercer a profissão e atender os clientes.

Por isso, veja a seguir quais são os principais gastos para quem está iniciando no mercado de seguros:

Equipamentos eletrônicos

O primeiro investimento necessário é relacionado aos equipamentos eletrônicos que possibilitem a comunicação com clientes, para redigir e ajustar contratos, entre outras necessidades.

Adquirir um bom notebook e um smartphone são essenciais.

Um computador portátil permite que você trabalhe de qualquer lugar, e possa acessar documentos, contratos ou e-mails a qualquer momento.

E o smartphone, que é a principal ferramenta de comunicação, e pode ser utilizada para:

  • Ligações;
  • Mensagens em aplicativos de mensagens instantâneas;
  • Controle de agenda;
  • Notificações de compromissos;
  • Reuniões;
  • Entre outros.

Internet

Na hora de contratar um plano de internet, verifique a cobertura e a franquia, pois ela será utilizada a todo momento.

Ela é uma ferramenta indispensável para o seu dia-a-dia. Contudo, sem uma cobertura adequada, existe o risco de ter obstáculos que impeçam o fechamento do contrato, devido a qualidade da conexão, por exemplo.

Telefone

O telefone, assim como a Internet, é uma ferramenta de comunicação necessária.

Por isso, na contratação de uma franquia de rede, considere também um plano de voz que tenha vantagens para ligações de longa distância e minutos ilimitados, por exemplo.

Cursos de capacitação

O corretor de seguros, para atuar de acordo com as normas vigentes, precisa ser certificado junto à Escola Nacional de Seguros (Funenseg), que é a instituição responsável pela habilitação dos profissionais da área.

Além disso, também precisa prestar o Exame para Habilitação de Corretores de Seguros, a prova para conseguir a certificação.

Ainda, existem outros cursos de capacitação que os corretores podem fazer para enriquecer seus currículos e aumentar sua experiência no setor, como:

  • Curso de empoderamento do corretor de seguros;
  • Gestão de Custos;
  • Gestão de pessoas.

Sala de Coworking

As salas de coworkings são espaços compartilhados para quem está em busca de um local corporativo, para a realização de:

  • Reuniões,
  • Videoconferências,
  • Negociações com o cliente.

Os valores são variados, de acordo com a localização e benefícios oferecidos no espaço compartilhado.

É uma excelente opção para quem não quer investir na locação de um escritório, mas é importante que seja um local para compromissos formais.

Dessa forma, torna a atuação do profissional mais completa, e pode ajudar a aumentar quanto ganha um corretor de seguros.

Qual a melhor maneira de atuar como corretor de seguros? Pessoa física ou jurídica?

Embora não seja possível indicar com certeza qual seria o melhor formato de atuação como corretor de seguros, podemos analisar as vantagens e desvantagens de cada modalidade.

Por isso, entenda um pouco mais sobre as diferenças em cada um dos modelos de trabalho.

Pessoa Física

O corretor de seguros atuando como Pessoa Física recebe os ganhos através de uma RPA, com incidência de imposto de 27,5% diretamente nas comissões.

No caso de uma contratação de um autônomo, existe o recolhimento de 20% dos contratos que foram fechados.

E, ao somar todas as taxas e demais impostos envolvidos, o percentual sobe para 40% do total que foi ganho.

Pessoa jurídica

Na atuação do corretor como Pessoa Jurídica, é necessário a abertura de CNPJ, no Simples Nacional, onde é possível obter benefícios.

Para ganhos que não ultrapassem R$15.000, o imposto é de 6%, e a seguradora não tem a obrigação de arcar com os encargos adicionais, incidindo em até 12% das comissões.

Qual o investimento inicial para se transformar em um corretor de seguros?

O investimento necessário para um corretor além dos equipamentos necessários para o seu dia-a-dia é a sua formação e devido credenciamento.

No entanto, o profissional deve contar com ferramentas que simplifique suas atividades, e auxilie na gestão de todas as informações, prazos, contratos e comissionamento.

No geral, saber quanto ganha um corretor de seguros depende de uma série de fatores, mas, para começar a atuar na área, investir em bons equipamentos pode ser um bom primeiro passo.

Posteriormente, com o crescimento da sua carteira de clientes, será necessário contar, cada vez mais, com essas ferramentas, mas os lucros também podem aumentar, equilibrando suas atividades e permitindo bons recebimentos na profissão.

Gostou desse conteúdo? Leia mais artigos para corretores diretamente em nosso Blog!

Ultimas Postagens